site logo
 

PUBLICIDADE

img

Fronteira Festival encerra inscrições em janeiro0 comentário

Vem Aí

Tamanho da fonte A A

Publicado em 22/12/2017 08:09

 

As inscrições para o Fronteira Festival poderão ser realizadas até o dia 4 de janeiro, pelo site do evento. Para as mostras competitivas são aceitos filmes de todo mundo, de todas as metragens e que tenham sido realizados a partir de janeiro de 2017. O festival será realizado em Goiânia de 12 a 21 de abril de 2018, pela Barroca, com patrocínio do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás.

 

Cada realizador pode inscrever quantos filmes desejar, além de serem aceitas inscrições de filmes work-in-progress, ou seja, que estiverem em fase de montagem ou finalização. As inscrições são gratuitas. Os filmes inscritos também podem integrar mostras de caráter não competitivo. Os goianos têm espaço especial.

 

A curadoria do Fronteira faz um convite especial aos produtores audiovisuais de Goiás, para participarem da mostra Cadmo e o Dragão. Essa mostra compreende sessões exclusivas dedicadas ao cinema produzido por "desobedientes" cineastas goianos. Nomes como Lourival Belém Júnior, Eudaldo Guimarães e Martins Muniz fizeram parte da mostra nas edições anteriores. Se antes a mostra era feita por escolha curatorial e tinha um caráter mais histórico, este ano, ao contrário das outras edições, a Cadmo e o Dragão também terão espaço para livre inscrição de novas produções goianas. 

 

Cadmo e o Dragão ganhou seu nome em referência à profecia de Lévi-Strauss publicada em Tristes Trópicos (1957). Nela o antropólogo fala do espanto causado por sua passagem por Goiânia em 1937. É interessante observar o choque estético que significava a cidade “plantada no meio do nada”. “Sentíamo-nos ali como numa estação ou num hospital, sempre passageiros e jamais residentes. Somente o temor de um cataclisma poderia justificar essa casamata. Produziu-se um, com efeito, cuja ameaça se prolongava no silêncio e na impossibilidade reinantes. Cadmus, o civilizador, tinha semeado os dentes do Dragão. Numa terra esfolada e queimada pelo hálito do monstro, esperava-se que nascessem homens”. Lévi-Strauss, por sua vez, citava uma história da mitologia grega, que explica o surgimento da cidade de Tebas: A mítica cidade grega de Tebas ergue-se sobre os despojos de um terrível dragão. Depois de tê-lo vencido, o corajoso Cadmo enterrou os seus dentes para que deles nascessem os primeiros tebanos.


 

PUBLICIDADE

img

PUBLICIDADE

img

PUBLICIDADE

img

AGENDA

< >

Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado

O autor do comentário é o único responsável pelo conteúdo publicado.

img

Av. D, nº 419, sala 401, Ed. Comercial Marista

Goiânia - GO / CEP:74.150-040

(62) 9946-0186

[email protected]